Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Escola em Taió Já há mais de 15 desenvolve o projeto Horta na Escola

Publicado em 05/10/2016 às 13:38 - Atualizado em 05/10/2016 às 13:38

Escola em Taió Já há mais de 15 desenvolve o projeto Horta na Escola
Créditos: Márcio Nato Rodrigues Baixar Imagem

Dobrar as mangas, colocar a mão e sentir o cheiro da terra, manusear sementes, plantar mudas de hortaliças, aprender sobre o processo de germinação e desenvolver valores relacionados às questões ambientais, faz parte da rotina dos alunos da Escola Municipal Adolfo Ewald, na Região de Ribeirão Pinheiro, em Taió. Além de conciliar teoria com prática, os produtos, cultivados sem agrotóxicos, enriquecem a merenda escolar.

 

Já há mais de 15 anos, em execução nesta escola, o projeto tem ajudado os alunos no conhecimento e no desenvolvimento da prática agrícola. Desde os primeiros anos, o projeto sempre apresentou bons resultados. As atividades envolvem não só os alunos, mas toda a comunidade familiar e escolar. Além dos benefícios alimentares, o “Horta na Escola” têm sido uma forma de aprendizado saudável, criativa e econômica. “Antes não vinha hortaliças para escola, então o senhor Guilherme Voguel, que era o nosso zelador, foi quem teve a iniciativa de fazer a nossa primeira horta”, conta a professora Rose Marcia Setter.

 

Desde as primeira cultivações do senhor Voguel, no início dos anos 2000, o projeto sempre recebeu uma atenção especial por todos os professores e alunos. Em 2005, a professora, Roseli Leitzke Purnhagen, desenvolveu um projeto científico que chegou a se classificar para a feira estadual de ciências.  “Trabalhei com eles todo o conteúdo em sala de aula, com um âmbito bem pedagógico. Eles tiveram que medir o espaçamento entre uma hortaliça e outra, aprender sobre o tempo de germinação até a colheita, então elaboramos um projeto e tivemos destaque na edição regional e estadual da feira de tecnologias”, lembra a professora Roseli. 

Zenaide Leitzke, agente de serviços gerais, fala sobre os cuidados com plantação, “eu os alunos ajudamos na manutenção da horta, capinamos, limpamos, buscamos os componentes para manter a horta bonita e saudável”, explica.

 

Já a diretora, Edite Vavassori, fala da alegria em ter na escola uma horta que serve mantimentos para complementar a merenda escolar, “é muito gratificante termos em nosso pátio a nossa própria horta. Às vezes precisamos de um chá, temos aqui as ervas para fazê-lo, temos verduras frescas e sem agrotóxicos. Além de ser uma atividade que colabora no processo educativo, a horta também gera economia para o nosso município, pois, para nós, a prefeitura não precisar enviar tantas verduras”.

 

Descontraída, Vavassori, comemorou o bom desempenho da escola na 3ª Maratoninha, deste ano. Em tom de brincadeira, a diretora disse que, os bons resultados vieram devido ao espinafre cultivados pelos alunos na horta. “Temos muito espinafre em nossa horta, os alunos consumiram e ficaram forte e tiveram um bom destaque”.

 

Na horta, as crianças aprendem o cultivo de alimentos, que elas mesmas plantam, colhem e consomem, participando ativamente do processo educativo. Além de frutas, raízes e verduras, os alunos aprendem sobre o uso de plantas medicinais para a cura de algumas enfermidades. A atividade também incentiva a reciclagem, já que reaproveita as sobras para usar como compostagem.

 

As mudas são trazidas pelos próprios alunos que, com ajuda da família, ajudam a renovar as variedades na horta escolar.