Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Taió em Ação: Reunião sobre a instalação de um abatedouro de peixes aconteceu em Taió

Publicado em 06/09/2013 às 00:00 - Atualizado em 01/07/2014 às 17:36

Aconteceu na tarde desta sexta-feira, dia 06, na Prefeitura de Taió uma reunião sobre um estudo de instalação de um abatedouro de peixes na cidade. A implantação beneficiará psicultores de toda a região do Alto Vale do Itajaí.Participaram do encontro, membros da Associação de Desenvolvimento do modelo Alto Vale do Itajaí de Psicultura Integrada (Ademavipi), o Prefeito Municipal, Hugo Lembeck, o Secretário Regional, Jocelino Amâncio, o representante da empresa Alevinus, membros da Secretaria de Agricultura e representantes da Epagri. De acordo com o Diretor de empresa Alevinus, Celso Rodrigues, de Joinville, responsável pela possível elaboração do projeto, a reunião foi muito produtiva. “A Alevinus industrializa e comercializa o peixe. Trazendo o frigorífico para a região, nosso objetivo é diminuir o valor do produto no mercado, aumentando assim o consumo e consequentemente o lucro dos psicultores com o aumento na produção”, explica.Interesse mútuoPara Ronaldo Peters, Gestor Geral da Ademavipi, o projeto veio ao encontro a uma necessidade já percebida pelos psicultores. “Nós já havíamos visitado alguns abatedouros com o objetivo de conhecer e futuramente implantar o modelo na região, então a reunião e a proposta da Alevinus veio ao encontro dessa necessidade já constatada por nós”, ressalta.  Hoje a Ademavipi conta com 12 associações de psicultores existentes na região do Alto Vale do Itajaí.Para o Prefeito Municipal, Hugo Lembeck, a implantação do frigorífico na cidade facilitaria a rotina dos psicultores de toda a região. “A administração estará à disposição e auxiliará no que for preciso para que o projeto se concretize. Trazendo o abatedouro para Taió, aumentamos o lucro dos produtores e incentivamos ainda mais a produção de peixes em nossa região”, ressalta. A previsão é de que até o final deste ano a primeira fase do processo, de estudos e projetos para a implantação do sistema, esteja concluída. Assessoria de Comunicação: Karolina Bonin