Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Pesagem dos beneficiários do Programa Bolsa Família segue sendo realizada em Taió

Publicado em 17/11/2021 às 15:08 - Atualizado em 17/11/2021 às 15:13


Créditos: Assessoria de Comunicação Baixar Imagem

A Gestão do Programa Bolsa Família, em parceria com a Secretaria de Assistência Social e Secretaria de Saúde, convoca você para realizar a pesagem dos Beneficiários do Programa Bolsa Família (crianças menores de 7 anos e mulheres de 14 a 45 anos), a realizar-se durante todo o mês de NOVEMBRO, nas dependências de sua Unidade de Saúde (ESF), no horário de funcionamento normal da respectiva Unidade.

 

Deve-se levar carteira de vacinação de todas as crianças beneficiárias. Lembramos que não haverá outro momento para pesagem das crianças, por isso é fundamental a sua presença.

 

Como vai funcionar o Auxílio Brasil?

 

Com benefício médio de R$ 217,18 em novembro, o Auxílio Brasil, novo programa social criado pelo governo, começará a ser pago a partir de hoje, 17/11. Para valer definitivamente, a medida provisória (MP) do programa precisa ser aprovada pelo Congresso, até 7 de dezembro, 120 dias após a edição do dispositivo.

 

Com 17 milhões de famílias incorporadas, o Auxílio Brasil terá cerca de 2,5 milhões de famílias a mais que os 14,6 milhões atendidas pelo Bolsa Família. O novo programa social terá três benefícios básicos e seis suplementares, que podem ser adicionados caso o beneficiário arranje um emprego ou tenha um filho que se destaque em competições esportivas ou em competições científicas e acadêmicas.

 

O pagamento do valor mínimo de R$ 400 até dezembro de 2022, prometido pelo presidente Jair Bolsonaro, depende da aprovação da proposta de emenda à Constituição (PEC) que permite o parcelamento de precatórios por até dez anos e muda o cálculo do teto de gastos. Caso aprovada, a proposta abre um espaço de R$ 91,5 bilhões no teto para 2022, dos quais cerca de R$ 50 bilhões serão usados para bancar a elevação do benefício para R$ 400.

 

As condições do programa foram regulamentadas por um decreto editado no último dia 8. Os valores dos benefícios e das linhas de pobreza e de extrema pobreza foram definidos por outro decreto, publicado no último dia 5.

 

As famílias com renda per capita de até R$ 100 passaram a ser consideradas em situação de extrema pobreza; aquelas com renda per capita de até R$ 200 passam a ser consideradas em condição de pobreza. No Bolsa Família, os valores eram, respectivamente, de R$ 89 e de R$ 178 por pessoa. O valor médio do Bolsa Família, em média R$ 189, passou para R$ 217,18, com alta de 17,84%.