1- Nome do Município 

Taió

2- Origem do Nome

Há várias versões para o nome do município. Embora na época da colonização os recursos para registros eram eficazes e confiáveis,permanece até hoje em penumbra a origem do seu nome. Tayó, que mudou para Taió com a nova ortografia, atiça a curiosidade dos pesquisadores em busca da verdadeira origem do nome. Há três versões correntes. A primeira e mais aceita é aquela que tem a sua origem na folha de "taiá" ou "taioba, muito em voga na região. Outra versão é que Taió na língua indígena significa" Pedra Grande "ou Morro Grande" - talvez em alusão ao Morro Funil, segundo maior o Estado, com 1555 metros, que outrora pertencia ao município. E a última versão alega que Taió provém de Taiá - uma comida típica dos índios, que hoje ainda é apreciada pela população.

3- Dados sobre a Colonização

a) Origem dos Colonizadores: b) Data do início da colonização:

Ex-Oficial alemão, o então engenheiro Emílio Odebrecht, no ano de 1861, e seus oito companheiros, quatro alemães e demais soldados brasileiros, partiram de Blumenau em expedição pela mata virgem do Alto Vale do Itajaí. Enfrentando todo tipo de dificuldade, Odebrecht e sua comitiva, acamparam na barra do rio Taió em 1874. Nessa ocasião o desbravador efetuou as primeiras medições no que é hoje o município de Taió. Pisando em terras taioenses, catequistas de índios, caboclos e caçadores, mais tarde fizeram uso da primeira picada para o Planalto Catarinense, aberta por Emílio. No início do século, inúmeras famílias dos campos de Lages, inconformadas ou perseguidas pela Guerra do Contestado, resolveram mudar para novas terras. Assim, Ramiro Goetten se estabeleceu em Pinhalzinho, Juvêncio Alves de Jesus em Barra Grande, os irmãos Rauen em Laranjeiras e a família Custódio na localidade de Paleta. Em 1916 Eugênio Grewsmuller fez a primeira derrubada, onde hoje é a sede da cidade. No entanto, a ocupação das terras ocorreu de fato no ano de 1917, com a chegada de inúmeros descentes de alemães. Em 1920, Luiz Bertoli Sênior, terminava a ligação rodoviária entre Taió e Bela Aliança, hoje Rio do Sul. Os italianos chegaram em 1921, após a conclusão da ligação rodoviária. A partir de então, várias correntes migratórias fluíram ao local, dada a boa qualidade das terras e madeira que havia em abundância.

4- Data de fundação do município:

Em 7 de setembro de 1929, Taió passou a Distrito de São Francisco do Sul, pertencendo mais tarde a Itajaí, Blumenau e Rio do Sul. Em 30 de dezembro de 1948 foi elevado a categoria de município com terras desmembradas de Rio do Sul, cuja instalação ocorreu em 12 de fevereiro de 1949. Em 27 de dezembro de 1959, passou a sede de Comarca, abrangendo os municípios de Salete, Rio do Campo e Mirim Doce, este último desmembrado de Taió em 26 de setembro de 1991. Taió, por fim emancipou-se em 12 de fevereiro de 1949. Esta data veio a ser considerada como o Dia do Município.

5- Aspectos geográficos (hidrografia, relevo, altitude média e máxima)

Taió possui 661,5 Km2, com uma altitude de 346 m, incorporada ao Alto Vale do Itajaí, uma microrregião situada na área central do Estado de Santa Catarina, que congrega 27 municípios de características homogêneas, que a classificam como o Vale Europeu no Brasil. Localizada a uma latitude de 27o06'59'' Sul e 49o59'53'' de longitude Oeste, tem um clima mesotérmico úmido - sem estação seca, com uma temperatura média de 15ºC e umidade relativa do ar em torno de 81%. O relevo é constituído de superfícies planas, onduladas e montanhosas, com fertilidade apta para agricultura, na grande maioria. Possui uma vasta bacia hidrográfica, captada pelo Rio Itajaí do Oeste, que integra o Rio Itajaí-Açú.

a) Geologia:

A geologia da microbacia do Ribeirão Braço da Ilha corresponde ao super-grupo Tubarão, grupo Itararé, formação Rio do Sul, sendo constituída por rochas de origem sedimentar. Tem origem glacial, ocorrendo em uma faixa alongada norte-sul, seguindo as cidades de Mafra, Rio Negrinho, Witmarsum, Rio do Sul,, Ituporanga, Orleans e Urussanga. Dentro de uma seqüência, a porção inferior é constituída de folhelhos e argilitos cinza escuros, e a porção superior da desagregação, decomposição, transporte e deposição de partículas oriundas de outras rochas. A decomposição ou sedimentação deu-se em estratos ou camadas horizontais, daí a denominação de rochas estratificadas. Os espaços que separam as camadas denomina-se diáclases horizontais, de grande importância na chamada erosão diferencial, ou seja, há um trabalho desigual da erosão, atuando sobre materiais com diferentes graus de resistência. Essa heterogeneidade de ações e de materiais refletiu na morfologia e nas condições físicas dos solos resultantes. A cobertura pedológica é uniforme, com domínio quase absoluto de solos cambissolos. Entretanto, em função do material depositado, há perfis arenosos, siltosos, franco argilosos, argilosos e muito argilosos. Taió possui uma grande singularidade em seus aspectos geológicos que é a ocorrência de fósseis marinhos e águas sulfurosas. A . C. Rocha-Campos, do Departamento de Geologia e Paleontologia da Universidade de São Paulo - USP, realizou minuciosa investigação sobre os fósseis da região de Taió, em sua tese de doutoramento apresentada em 1964. em seu trabalho o autor destaca que a descoberta de fósseis marinhos na região de Taió foi feita por Bastos, geólogo do antigo Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil e começaram a ser mencionados em publicações científicas a partir de 1930. Percebe-se que o interesse científico pelos fósseis da região vem de longa data com material publicado por diversos autores e, além disso, sempre motivou estudos de grupos acadêmicos de instituições de ensino superior de Santa Catarina e estados vizinhos. De acordo com estudos realizados por Rocha-Campos (1970), a unidade mais antiga que aflora na região de Taió, pertence ao Grupo Tubarão, Subgrupo Itararé e datam de 220 ou 230 milhões de anos atrás. Este afloramento estende-se desde do limite oriental da área estudada acompanhando o vale do rio Itajaí do Oeste, até a altura do Ribeirão do Salto. A espessura máxima atingida por esse pacote sedimentar foi avaliada em mais de 100 metros. O autor destaca os estudos feitos nos sedimentos da Formação Rio Bonito onde as melhores exposições foram encontradas em cortes dos caminhos que sobem os morros da região (Serra Kraemer, Ribeirão do Ouro), ou nos barrancos e leitos de alguns rios da região (Braço Scoz, Ribeirão Bugio), em pequenas escarpas e quedas d' água. A camada de fósseis marinhos registraria a presença de águas salgadas durante período relativamente curto, comparável ao que aconteceu em certas fases da história geológica do mar Báltico, durante a glaciação pleistocênica. Os fósseis obtidos em Taió não parecem estar relacionados com outros existentes no Brasil. Os estudos realizados mostraram que há similaridade com fósseis encontrados em Nova Gales do Sul, na Austrália. O exame de diversos afloramentos feito por Rocha-Campos, mostrou concentrações de conchas que podem atingir algumas centenas por metro quadrado. O sítio palenteológico em Taió é citado em livros de ciências e biologia. Amostras retiradas do local estão em museus nacionais na cidade de Blumenau (FURB), Joinville, Balneário Camboriú, Rio de Janeiro e, em Londres. As águas sulfurosas localizam-se numa propriedade particular, na localidade de Pechincha, sem aproveitamento atual para consumo, tratamento de doenças, ou outras utilizações.

b) Geomorfologia:

A microbacia do Ribeirão Braço da Ilha, pertence à Unidade Geomorfológica Patamares do Alto Rio Itajaí. Ocupa 10.131 km2 ou 10,5% da área do Estado, sendo caracterizada por intensa dissecação da paisagem. Esse segmento estável de paisagem corresponde a uma região de equilíbrio, onde a abundante água de percolação determinou, paralelamente à alta lixiviação, a ocorrência de cambissolos medianamente profundos a profundos. Em seqüência, a paisagem é representada por encostas sem muitas aptidões agrícolas. Imediatamente o vigor da paisagem é interrompido por patamares, onde a dinâmica da água proporcionou um maior desenvolvimento de perfis, a exemplo dos topos planos, com domínio de cambissolos. Em seqüência, alternaram-se encostas e patamares, até a paisagem estabilizar-se em relevo plano/suavemente ondulado nos vales abertos dos rios, com ênfase às margens do Rio Itajaí do Oeste.

c) Solos:

Encontra-se no município, quatro tipos de solo: Taquaral, Carochel, Monte Alegre e Rancho Grande. Tais solos estão distribuídos pelo município em quatro regiões, definidas através do tipo predominante de cada uma delas. Na região há uma dominância quase absoluta de cambissolos originados de rochas sedimentares (argilosos, siltitos, folhelhos), naturalmente álicos, deficientes em fertilidade e com características físicas e minerológicas que não são as mais favoráveis, nem a infiltração de água nem à resistência à erosão, mesmo nas condições naturais. Ainda que nos solos sob cultivo, especialmente sob culturas anuais, as correções indispensáveis tenham levado à melhoria das limitações químicas, não foi suficiente para atingir o patamar desejado. De outro lado, o cultivo tem implicado em substancial degradação de propriedades como a agregação de particular importância nesses solos, para processos físicos, desenvolvimento das plantas e resistência à erosão.

d) Clima:

A região de Taió apresenta clima mesotérmico úmido. A temperatura média anual é de 15º C, mínima de 7ºC e máxima de 34ºC e a umidade relativa do ar, de 81%. A temperatura média de julho fica em torno de 16ºC e, em janeiro aumenta para 24ºC. A temperatura máxima diária ocorre em torno das 14-15 horas e a mínima quando do nascer do sol. Entretanto, ocasionalmente podem ocorrer temperaturas mínimas e máximas diárias fora destes horários. As geadas podem ocorrer na região no período de maio a agosto. As mais comuns na região são as geadas de irradiação, que se formam em noite frias, com ar calmo e o céu descoberto. Em função da baixa temperatura média, há pouca exigência do mecanismo de evapotranspiração (1.000mm), gerador de chuvas, explicando-se assim o índice de precipitação anual de 1.300mm, do mais baixos do estado, a grande possibilidade hídrica da região e sua alta taxa de umidade. Apesar da distribuição de chuvas bastante regular, não existe uma estação de seca definida. Os meses de maior concentração pluviométrica são fevereiro - março - setembro e outubro. O número de dias de chuva anual pode chegar a 100 dias. Total anual de insolação, de 2.200h. As altas temperaturas que ocorrem nos meses de verão, favorecem a freqüência às várias cachoeiras existentes no município, para admiradores da natureza e população das cidades vizinhas.

e) Vegetação:

No município de Taió encontram-se os limites da Mata Tropical Atlântica, na parte em que ela interpenetra na Serra Geral, através da bacia do rio Itajaí-Açú. A vegetação original corresponde à região da Floresta Ombrófila Densa, situada entre o planalto e o oceano. Estende-se desde as planícies litorâneas até e, principalmente, as encostas íngremes da Serra Geral. Antes da ação antrópica e dos efeitos da degradação do solo, as espécies mais importantes eram a canela-preta, que cobria cerca de 40-50% da biomassa total, a canela sassafrás, abundante entre 500-900 metros de altitude, a peroba-vermelha e o pau-óleo. Além destas, cita-se grande número de mirtáceas, de pouco valor, a não ser para carvão e lenha. Como sucessora desta floresta estabeleceu-se a chamada vegetação secundária, formada por aglomerações de ervas, arbustos e árvores de pequeno, médio e grande porte. O início dessa vegetação dá-se com ervas anuais e termina em florestas, similar à original. Estabelece, assim, séries, com uma seqüência natural de capoeirinha, capoeira, capoeirões e floresta. Sua vegetação atual é pródiga em tipos de canela e cedros: a canela sassafráz, canela do brejo, canela amarela, cedro preto, cedro rosa, pindabuna, louro maiate, baguaçu, etc. constituem madeiras de grande valor comercial e, por isso, explorados indiscriminadamente pelo homem.

f) Fauna Silvestre:

O município possui uma fauna diversificada, sendo algumas espécies mais conhecidas pela população como o gambá, quati, tatu, lebre, macuco, lagarto, tamanduá, capivara, lontra, nhambu, perdiz, tucano e tiriva.

g) Recursos Hídricos:

A bacia do Rio Itajaí-Açú, tem como um dos seus formadores o Rio Itajaí do Oeste, principal rio do município de Taió. Depois de nascer na Serra Geral, ele atravessa o município, recebendo o Rio Taió na altura da sede urbana, este nascido na Serra Velha, em Mirim Doce. Esses dois rios principais e os demais cursos d'água, têm suas nascentes em áreas altas, acima de 300 metros. Ao longo desses rios e ribeirões, formaram -se várias comunidades no interior do município, que adotaram o mesmo nome, tais como Ribeirão das Pedras, Ribeirão da Erva, Ribeirão da Vargem, Ribeirão pequeno, Rio Estevão, Ribeirão dos Lobos, Rio Rauen, Ribeirão Pinheiro, Ribeirão do Salto, entre outros. Devido à existência dessa rede hidrográfica e do relevo acidentado, ocorrem várias quedas d'água e cachoeiras, devendo-se destacar o Salto Rauen, com 40 metros de altura, o Salto do Ribeirão Pequeno com 36 metros de altura, o Salto Cordeiro, o Salto Campinas, além de outros. Essas quedas apresentam uma bela visão cênica, constituindo-se pontos com alto potencial turístico. É grande a importância dos rios na fixação e no desenvolvimento da colonização de Taió. Inclusive com a dependência de suas atividades agro-industriais com controle e aproveitamento de suas águas. Pelo quadro climático regional, a grande disponibilidade hídrica se reflete, quando das intensificações de chuvas, em enchentes periódicas. A correlação entre as inundações e a ocupação das encostas, reside tanto na extensão dos prejuízos quanto no regime de vazões. A massa de detritos deslocados nas encostas desmatadas, pelas águas torrenciais, mostra a importância dos efeitos de sua ação na ampliação das inundações. Só o controle efetivo das ações devastadoras do homem, pode vir a resguardar no futuro a ampliação de tais problemas.

7 - Economia

O povoamento de Taió teve início no começo deste século, mais expressivamente nos anos de 1917 e 1920, com a chegada de descendentes de alemães e italianos. A partir de então recebeu várias correntes imigratórias, dada a boa qualidade e disponibilidade das terras para agricultura, pecuária e madeira para exploração. Nos livros de história de Taió, personagens como Ramiro Goetten, Juvêncio Alves de Jesus, Eugênio Grewsmuller, os irmãos Rauen e a família Custódio aparecem como pioneiros corajosos, mais tarde seguidos por dezenas de colonos que construíram seus lares nas localidades de Salete, Rio do Campo e Mirim Doce. A economia do município baseia-se na agropecuária e na extração vegetal. O desenvolvimento da exploração das atividades primárias propiciou o surgimento de uma base industrial formada pelos gêneros alimentares, apicultura, hortifrutigranjeiros, derivados de suínos, laticínios e madeira.

Setor Primário:

A base da economia de Taió está representada predominantemente pelo setor primário onde a pecuária, a agricultura e a extração vegetal geram grande parte da riqueza. Este setor é o que mais contribui para a renda econômica do município. O setor rural é caracterizado por pequenos produtores, que detêm em média 25 hectares e trabalham com pequenos e médios implementos mecanizados. Aqueles que não possuem estes implementos ocupam dos vizinhos por troca de mão-de-obra ou remuneração. As pequenas e médias propriedades contam quase que exclusivamente com a mão-de-obra familiar. Na época da safra é grande o número de trabalhadores avulsos, sem vínculos empregatícios, que fora de época de plantio e colheita vivem subempregados (biscates) ou desemprego total.

Segundo dados fornecidos pela Prefeitura Municipal, (2000) a produção do município abrange:

Produção de Fumo 2.000ha,  Produção de Milho 5.000ha,  Produção de Arroz Irrigado 2.000ha,  Produção de Mandioca 500ha, Horticultura 250ha, Gado de Leite 40.000litros/leite dia e  Aviários 80.

Totalização da Safra/Produtos no Período de 01/01/2000 até 31/12/2000.

Adubo de Aves 529,953 toneladas Arroz beneficiado em casca 225.863,274 saca de 50 Kg. Aves vivas 14.000 kg Batatas 3.097,708 kg Batata doce 14.208,750 kg Cebola 4.142,430 kg Erva Mate 97.055,000 Feijão 33.542,635 kg Fumo em folha 2.192.791,850 kg Gado 1.783,000 cabeças Ovelhas 2.000 cabeças Suíno por quilo 1.750.366,553 kg Hortifrutigranjeiros - Frutas Frescas 2.344.00 kg Hortifrutigranjeiros - leite in natura 1.266.066,370 kg Hortifrutigranjeiros - leite in natura nata 6.265,812 kg Hortifrutigranjeiros - ovos 1.392,500 dúzias Hortifrutigranjeiros - verduras e legumes 1.548,166 kg Hortifrutigranjeiros - verduras e legumes pepino 1.545,000 kg Mandioca 799.504,785 kg Mandioca aipim 12.700,600 kg Mel de abelha 7.818,900 kg Milho 8.420,011 kg Mudas de eucalipto 8.000,000 unidade Mudas de flores e folhagem 3.786,000 unidade Peixe de água doce 45.274,000 kg Vassoura de milho 209,000 unidade Madeiras de Pinus Elliotis eTeada em Toras 38.204,292 metros cúbicos Madeiras de Qualidade em Toras Eucalipto 254,127 metros cúbicos Madeiras de Qualidade em Varas (estacas p/ construção) 56.00 metros cúbicos

Setor Secundário: O setor secundário participa com 35% no conjunto global da economia municipal. Este setor é organizado por uma Associação do Comércio, Indústria e Agricultura - ACIAT - de Taió, que visa o aperfeiçoamento empresarial local. Principais ramos industriais em atividade no município: ü Abertura para residências; ü Bebidas; ü Bolachas, doces, pães, biscoitos; ü Cerâmicas; ü Confecções; ü Equipamentos eletrônicos; ü Equipamentos mecânicos; ü Ervateiras; ü Fécula e amidos; ü Imunizantes para madeira; ü Madeiras beneficiadas; ü Móveis residenciais; ü Papel e celulose; ü Papelão e similares; ü Produtos de limpeza; ü Sorvetes.

Setor Terciário:

Os serviços do setor terciário estão organizados em uma Câmara de Diretores Lojistas - CDL - com os seguintes ramos industriais e de serviços, entre outros: ü Bares e restaurantes; ü Hotéis; ü Lojas de calçados e vestuários; ü Lojas de equipamentos agrícolas; ü Oficinas mecânicas; ü Postos de combustíveis e lubrificantes; ü Supermercados e mercearias; ü Transportes coletivos; ü Panificadoras.

8 - Eventos e Festas

Janeiro

Nesta época de sol e calor, todos anseiam por passar alguns dias no litoral, quem não pode usufruir deste capricho, procura aqui mesmo uma maneira de remediar o sufoco do calor. Nosso município possui vários locais para acampamentos e muitos córregos cachoeiras. Além disso possui inúmeros pesque-pagues com infra-estrutura de lazer como: lagoas de pesca, piscinas, campos de futebol, cancha de bocha, restaurante, locais para caminhadas, televisão, bilhar, banheiros, etc. O município também possui uma área de 350.000 metros quadrados de terras, junto à Barragem Oeste, local onde pretendemos construir um complexo de lazer, com parque ecológico, área para camping, trilhas ecológicas, projetos paisagísticos, pista de motocross, esportes aquáticos, pesca, parque de eventos, churrasqueiras, museu da Barragem, quiosques, etc.

Fevereiro

Neste mês comemoramos o aniversário de emancipação política do município no dia 12. Pretende-se transformar esta data num grande evento municipal. Fevereiro é o mês do carnaval. Taió realiza anualmente o Carnaval de Rua, já conhecido a nível estadual. O desfile de blocos reúne famílias inteiras na avenida e a participação do público vem crescendo a cada ano.

Abril

Em abril também acontece a Festa Della Famiglia, na Vargem II, em Taió. Esta Festa busca resgatar a cultura italiana através dos antigos moradores desta localidade, que tiverem que sair do local em conseqüência da construção da Barragem Oeste de Taió.

Maio

Maio é o mês das mães. A Prefeitura Municipal organiza uma festa para as mães de Taió, com distribuição de brindes. A Paróquia Cristo Rei de Taió, organiza uma festa no domingo, com almoço para toda a família.

Junho

Mês das festas juninas - todos os colégios organizam festas para a comunidade, assim em todos os finais de semana há uma festa junina, com pipoca, fogueira, quentão e tudo que se tem direito. Outro evento deste mês é o Festival de Esquetes, evento organizado pela Fundação Taioense de Cultura e que reúne pessoas de todas as idades, de toda a região, onde numa única noite se apresentam com peças teatrais cômicas, um verdadeiro show de risos e diversão.

Julho

No mês de julho o Circulo Trentino Di Taió, organiza a festa Del Vinho Artigianale, festa típica italiana de degustação e musical, resgatando a cultura do povo italiano colonizadores do município. Neste mês também é realizada a Festa do Colono, no dia 25 de julho, que é decretado feriado municipal. Festa Tradicional que reúne as comunidades do interior, onde é realizado bingos, leilões e um almoço típico. Esta Festa, a mais antiga do município teve início em 25 de julho de 1935, reunindo toda a comunidade. Na mesma data, a comunidade católica de Ribeirão Pinheiro promove a Festa de São Cristóvão, padroeiro dos motoristas. A programação da festa inclui desfile de veículos, carreata, fogos de artifícios, sorteio de brindes.

Agosto

FESTA REGIONAL DO GALETO

Setembro

Semana da Pátria: comemorações cívicas durante toda semana - comemoração nas escolas. Decoração de vitrines.

Outubro

A Paróquia Cristo Rei organiza a Festa do Cristo Rei. A Fundação Taioense de Cultura em conjunto com a Secretaria de Educação promovem o Fescolar - Festival Escolar da Canção e Concurso Musical com 3 categorias, quadrilhas, contos e poesias onde todos os colégios municipais de Taió podem participar incentivando seus alunos.

Dezembro

Natal na Praça. Evento com apresentações culturais, teatrais, musicais e feira de artesanato, promovendo e encontro de famílias. Casa do Papai Noel na Praça. Decoração natalina em toda cidade. Eventos:

Festa Del Vino Artigianale - Comunidade Italiana; ü Festas Juninas: Colégio Luiz Bertoli, Colégio Otto Hosang, Colégio Leopoldo Jacobsen, Escola Erna Heidrich. ü Festa da Colheita - Igreja Evangélica; ü Fescolar; ü Festa Nossa Senhora Aparecida- Igreja Católica; ü Festa do Padroeiro Cristo Rei - Igreja Católica; ü Festa dos Motoristas - Igreja Católica; ü Festa dia das Mães - Igreja católica; ü Festival de Esquetes; ü Show de Natal; ü Festa Della Famiglia - Comunidade Italiana; ü Festa Dia do Município; ü Carnaval de Rua; ü Festa do Chopp - Deutschesfest - Clube Caça e Tiro XV de Novembro; ü Baile do Jeans - Clube Caça e Tiro XV de Novembro; ü Jantar Dançante - Clube Caça e Tiro XV de Novembro; ü Baile Gaúcho - Clube Caça e Tiro XV de Novembro; ü Garota Piscina - Clube Caça e Tiro XV de Novembro; ü Baile dos Casais - Clube Caça e Tiro XV de Novembro.

10 - Pontos Turísticos

Arquitetura Civil: O município de Taió tem uma forte predominância das culturas alemãs e italianas, evidenciadas na arquitetura civil. Algumas construções típicas italianas foram construídas no início da colonização e, atualmente são ocupadas com residências e estabelecimentos comerciais. Possuem placas escritas no idioma italiano sendo reconhecidas e admiradas pela comunidade e visitantes o que as torna um grande potencial turístico. Já a cultura alemã se destaca pelas suas casas residenciais, as quais podem ser apreciadas em vários pontos do interior do município. Com um rico patrimônio cultural, presente nas construções em estilos italiano e alemão, com seus grupos de danças, nos corais e nos festejos que realizam, os taioenses contam com uma cidade com hospedagem e gastronomia que atendem a atual demanda de turistas.

Arqueologia: Taió possui algo que é singular em seus aspectos geológicos. Desde 1930 publicações científicas passaram a mencionar estudos minuciosos realizados no município por geólogos e paleontólogos brasileiros a cerca da ocorrência de fósseis marinhos e águas sulfurosas. O que as torna especiais é o fato de que tais fósseis não parecem estar relacionados com outros existentes no Brasil, antes, mostraram similaridades com fósseis encontrados em Nova Gales do Sul, na Austrália. A . C. Rocha Campos, do Departamento de Geologia e Paleontologia da Universidade de São Paulo - USP, realizou minuciosa investigação sobre os fósseis de Taió, em sua tese de doutorado apresentada em 1964. Em seu trabalho o autor destaca que a descoberta de fósseis marinhos na região de Taió foi feita por Bastos, geólogo do antigo Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil e começaram a ser mencionados em publicações científicas a partir de 1930. O exame de diversos afloramentos feitos por Rocha Campos, mostram concentrações de conchas que podem atingir algumas centenas por metro quadrado.

Recursos Hídricos: A bacia do Rio Itajaí-Açú, tem como um de seus formadores o Rio Itajaí do Oeste, principal rio do município de Taió. Depois de nascer na Serra Geral, ele atravessa o município, recebendo o Rio Taió na altura da sede urbana, este nascido na Serra Velha. Esses dois rios principais e os demais cursos d'água, tem suas nascentes em áreas altas, acima de 300 metros. Ao longo desses rios, formaram-se várias comunidades no interior do município, que adotaram o mesmo nome, tais como Ribeirão das Pedras, Ribeirão da Erva, Ribeirão da Vargem, Ribeirão dos Lobos, Rio Rauen, entre outros. Devido à existência dessa rede hidrográfica e do relevo acidentado, ocorrem várias quedas d'água e cachoeiras, devendo-se destacar o Salto Rauen, com 40 metros de altura, o Salto Ribeirão Pequeno, com 36 metros de altura, o Salto Cordeiro, o Salto Campinas, além de outros. Essas quedas apresentam uma bela visão cênica, constituindo-se pontos com alto potencial turístico.

Barragem Oeste: Localizada a 4 km da sede urbana e inaugurada em 1973, a Barragem Oeste foi construída para a contenção de cheias na região e no baixo Itajaí. A Barragem Oeste considerada de grande porte, possui uma capacidade de retenção de cheias de 110 milhões de m3, formando um lago artificial transitório com área de 9,5 milhões de m2 e controlando uma bacia hidrográfica de 1.042 km2 .

Arquitetura Religiosa: No início da colonização, a comunidade católica tinha poucas condições de construir uma igreja, por isso as missas eram rezadas provisoriamente na casa particular de Giuseppe Bertoli, proprietário de um estabelecimento comercial junto à foz do Rio Taió. Segundo registros, a primeira missa foi celebrada no ano de 1923, pelo Pe. João Batista Rolando na rústica casa do senhor Bertoli. Com base em depoimentos de Luiz Bertoli Júnior, em 1927 foi construída a primeira igrejinha. No entanto, a partir de 1930, o distrito começou a crescer e o povo sentiu a necessidade de se empenhar na construção de uma igreja maior. Havia, nesse período, "2.200 almas católicas, um pouco mais de 600 evangélicas e apenas 4 de outra religião", segundo relato do padre Carlos Zanotelli, responsável pela paróquia de Rio do Oeste, na ocasião. De fato, pelo livro caixa ainda preservado, a igreja de Taió foi construída no período de 1931 a 1933, há ainda que registra que a igreja de Taió estava totalmente pronta em 29 de outubro de 1935 e equipada com estátuas, torre, sino, cozinha, paramentos, altar, bancos, cômoda, confessionário, cálice, cibório e inclusive a pintura. Ao longo do tempo foram construídos vários pequenos templos no interior do município e a atual igreja Matriz, no centro da cidade. Com a colonização alemã, em 1917, vieram os adeptos da Igreja Evangélica de Confissão Luterana. Atualmente, na cidade de Taió, há um templo da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (Matriz) e outros templos que atendem a comunidade evangélica do município. O Seminário de Nossa Senhora de Fátima, localizado no centro da cidade, funciona atualmente como semi-internato para meninos e salas de aula para os cursos de 3º grau da UNIDAVI e da Escola Municipal Nova Geração. Possui na sua estrutura, área de lazer com bocha, campo de futebol suíço, lago para pesca, e camping. Como potencial turístico religioso, pode também ser considerado o atual Cemitério Municipal Campo Santo que, além de ser um local bem cuidado e bastante visitado, tem uma localização privilegiada e oferece uma bela vista panorâmica.

Monumento Religioso: No mesmo decreto de criação da Paróquia Cristo Rei de Taió, ficou definido o padroeiro principal do município, Cristo Rei. Para homenagear o padroeiro foi construído um monumento com a imagem do Cristo Rei , feita em pedra sabão.

Obra de Valor Técnico-Científico: Ponte Roberto Machado - localizada na Rua Hartwig Ern, no centro de Taió é a única original ainda existente no Brasil, construída com treliças e madeiras nobres. Foi inaugurada no dia 26 de abril de 1953. Depois de inaugurada, permaneceu imponente, mas não resistiu a crescente demanda de veículos. Acabou substituída pela Ponte Hartwig Ern. Tratada com veneração por uns e com descaso por outros, a ponte Roberto Machado começou a ruir. Uma das cabeceiras cedeu. A outra foi desmontada e o material aproveitado em outro local. Hoje apenas duas partes continuam intactas. Atualmente está sendo feito um levantamento com engenheiros para posterior envio de projeto para a recuperação da antiga ponte.

Manifestações Folclóricas: O município de Taió possui marcantes tradições folclóricas devido às colonizações alemães e italianas, com comemorações no decorrer de todo o ano. Um dos manifestos mais fortes no município é o do Círculo Trentino di Taió, fundado no dia 14 de julho de 1989. Com o objetivo de manter as tradições italianas, criou a primeira Festa Trentina em 1990, a Festa del Vino Artigianale, um jantar dançante que se repete todos os anos. A Festa tem como prato típico, galinha, polenta, macarronada, lasanha e o vinho. Uma parte do vinho consumida na festa é produzida no próprio município e outra parte é comercializada do município de Videira. Além da confraternização e da farta gastronomia, a Festa del Vino Artigianale tem como atrativo a apresentação de Coral Adulto Cantando Si Va, além de danças folclóricas infantis e juvenis (Grupo de Dança Arcobaleno). Representantes da Revista Insieme, vindos da Itália vem prestigiar o evento todos os anos.

Artesanato: 14 - Hospedagem e gastronomia

Hotel Spazio Rodovia SC - 422 km - 1 Fone: (47) 562-0138

Hotel Liesemberg Rua Coronel Feddersen, n. 2121 Fone: (47) 562-0279

Hotel Taió Rua Coronel Feddersen, n. 301 Fone: (47) 562-0434

Pizzaria Amiga Rua Coronel Feddersen, 1371 Fone: (47) 562-1554

Pizzaria Forno a Lenha Disk Pizza Fone: (47) 562-2050

Churrascaria Cássio Rua Coronel Feddersen, 301 Fone: (47) 562-1875

Restaurante Liesemberg Rua Coronel Feddersen, n. 2121 Fone: (47) 562-0279

Restaurante Paladar Rua Coronel Feddersen, n. 984 Fone: (47) 562-0052

Restaurante Francieli Rua Coronel Feddersen, s.nº. Fone: (47) 562-1796

Bar e Restaurante Cantinho do Baixinho Rua Coronel Feddersen, n. 1570 Fone: (47) 562- 0605

Restaurante e Panifício Taioense Rua Coronel Feddersen, n. 1958 Fone: (47) 562-0161

15 - Acessos e Distâncias:

O município de Taió localiza-se na região do Alto Vale do Rio Itajaí-Açú, na área central do Estado de Santa Catarina, com altitude de 346 m e posição geográfica de 27º06'59" de latitude Sul e 49º59'53"de longitude Oeste. A área de Taió é de 661,5 km2. O município de Taió limita-se com: - ao norte com os municípios de Salete, Rio do Campo, Witmarsum e Dona Emma; - ao sul com os municípios de Mirim Doce e Pouso Redondo; - a leste com o município de Rio do Oeste; - a oeste com o município de Santa Cecília. Taió pertence à Microrregião Geográfica do Alto Vale do Itajaí, que compõe a Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí - AMAVI, fundada em 07/11/64.

Principais Trajetos

Para chegar a Taió existem vários acessos. Os principais são pelas rodovias:

· BR - 470 que se estende no sentido leste-oeste, partindo de Navegantes, segue pelo Vale do Itajaí e atinge a região do Planalto até o município de Campos Novos, daí rumando para o Rio Grande do Sul. As saídas dessa rodovia para Taió podem ser feitas em Rio do Sul, via Laurentino - Rio de Oeste pela SC - 302 (com 32 km de estrada de terra) e em Pouso Redondo, pela SC- 422 e pela SC 425, que dá acesso ao Município de Mirim Doce, direto da 470, com oito km de estrada de terra.

· Rodovia Estadual S.C -422, o principal e melhor acesso a partir da BR-470, com 16 km asfaltados e em bom estado de conservação.

· BR - 282, importante ligação do Estado no sentido leste-oeste, parte de Florianópolis, segue pela região do Planalto de Lages até São Miguel Do Oeste, no extremo oeste catarinense. Na região próxima de Lages, segue-se pela Santa Catarina 425, via Otacílio Costa; · BR - 116 que faz importante ligação no Brasil no sentido norte-sul, do Rio Grande do Sul ao Ceará. As saídas dessa rodovia para Taió, podem ser feitas pela BR - 470 e pela Santa Catarina - 302, via Passo Manso, em estrada de terra.

Municípios Limítrofes: Rio do Campo - 37 km,  Salete - 17 km,  Witmarsum - 42 km,  Dona Emma - 33 km,  Mirim Doce - 12 km,  Pouso Redondo - 20 km,  Rio do Oeste - 33 km,  Santa Cecília - 63 km

Distância entre Taió a alguns municípios catarinenses e capitais brasileiras:

Balneário Camboriú.............................197 km; 

Blumenau............................................135 km;

Brasília..............................................1.985 km; 

Chapecó ..............................................372 km;

Curitiba (BR-116)...................................426 km;

Florianópolis (BR-282) ..........................271 km; 

Florianópolis (BR-470) ..........................290 km; 

Itajaí ....................................................188 km; 

Joinville ...............................................229 km; 

Lages ...................................................113 km; 

Navegantes (aeroporto) ........................190 km; 

Porto Alegre (BR-116) ............................395 km;

Rio do Sul ..............................................52 km; 

São Paulo (BR-116) ...............................834 km;

O estado de conservação das rodovias é bom, salvo alguns trechos da BR - 470 com problemas de acostamento e buracos na pista. Quem preferir utilizar os serviços aéreos para chegar em Taió, pode optar pelos aeroportos de Lages, Navegantes, Blumenau e pelo aeródromo de Lontras.

16 - Histórico do Município

Ex-Oficial alemão, o então engenheiro Emílio Odebrecht, no ano de 1861, e seus oito companheiros, quatro alemães e demais soldados brasileiros, partiram de Blumenau em expedição pela mata virgem do Alto Vale do Itajaí. Enfrentando todo tipo de dificuldade, Odebrecht e sua comitiva, acamparam na barra do rio Taió em 1874. Nessa ocasião o desbravador efetuou as primeiras medições no que é hoje o município de Taió. Pisando em terras taioenses, catequistas de índios, caboclos e caçadores, mais tarde fizeram uso da primeira picada para o Planalto Catarinense, aberta por Emílio.

No início do século, inúmeras famílias dos campos de Lages, inconformadas ou perseguidas pela Guerra do Contestado, resolveram mudar para novas terras. Assim, Ramiro Goetten se estabeleceu em Pinhalzinho, Juvêncio Alves de Jesus em Barra Grande, os irmãos Rauen em Laranjeiras e a família Custódio na localidade de Paleta. Em 1916 Eugênio Grewsmuller fez a primeira derrubada, onde hoje é a sede da cidade. No entanto, a ocupação das terras ocorreu de fato no ano de 1917, com a chegada de inúmeros descendentes de alemães. Em 1920, Luiz Bertoli Sênior, terminava a ligação rodoviária entre Taió e Bela Aliança, hoje Rio do Sul. Os italianos chegaram em 1921, após a conclusão da ligação rodoviária. A partir de então, várias correntes migratórias fluíram ao local, dadas a boa qualidade das terras e madeira que havia em abundância. Intrigante é o nome do município. Embora na época da colonização os recursos para registros eram eficazes e confiáveis, permanece até hoje em penumbra a origem do seu nome. Tayó, que mudou para Taió com a nova ortografia, atiça a curiosidade dos pesquisadores em busca da verdadeira origem do nome. Há três versões correntes. A primeira e mais aceita é aquela que tem a sua origem na folha de "taiá" ou "taioba, muito em voga na região. Outra versão é que Taió na língua indígena significa "Pedra Grande" ou Morro Grande - talvez em alusão ao Morro Funil, segundo maior o Estado, com 1555 metros, que outrora pertencia ao município. E a última versão alega que Taió provém de Taiá - uma comida típica dos índios, que hoje ainda é apreciada pela população.

17 - Informações Turísticas Prefeitura Municipal de Taió Fundação Taioense de Cultura

Áreas de lazer e recreação:

n. º Nome Endereço/localidade Tipo de recreação/lazer 

1 Serra do Kraemer Serra do Kraemer Paraglide 

2 Morro da Kanebo Bairro Boa Vista Paraglide 

3 CTG Galpão Nativo Tifa Eitz - Rancho Amorim Cavalgadas 

4 CTG Mangueira Taioense Barragem Cavalgadas 

5 Piquete Nono Verdi Sandri SC - 422 km 04 Cavalgadas

 6 Piquete Dante Vendramin Barragem Cavalgadas 

7 Piquete Mocidade Gaúcha Barragem Cavalgadas 

8 Piquete Vovô Aquiles Tifa Eitz - Rancho Amorim Cavalgadas 

9 Pista de Motocross Av. Nereu Ramos - Centro Motocross 

10 Centro Cultural 25 de Julho Rua Vitor Konder - centro Festas Populares 

11 Clube Caça e Tiro XV de Novembro Rua Franciso Tomazoni - centro Festas Populares - eventos - piscinas - futebol - volley - tênis - bocha - bolão - academia - bar 

12 Assoc. Atlética Banco do Brasil AABB Festas - piscinas - tênis - futebol - volley - bocha - bolão - bar 

13 Clube Esportivo e Recrativo União Beco Armelinda Trentini Campo de Futebol

14 Sociedade Esp. e Recreativa Cacique Bairro do Seminário Campo de Futebol - salão de festas - piscina 

15 Barragem Esporte Clube Parque da Barragem Campo de futebol e caminhadas 

16 Centro Paroquial Cristo Rei Rua Padre Eduardo Ginásio de esportes com quadra de volley, futsal, basquete e judô - salão paroquial para festas populares. 

17 Ginásio de esportes Vital Valentim Bairro do Seminário Atividades esportivas 

18 Recanto Albano Palmital Lagoas para pesca - serviço de bar - piscinas de água natural - área para camping

 19 Pesque Pague Vilmar Anderle SC - 422 km - 01 Lagoas para pesca - serviço de bar - churrasqueiras 20 Pesque Pague Wilibaldo Halla Ribeirão Pequeno Lagoas para pesca - piscinas - serviço de bar/restaurante - área para camping - caminhadas 

21 Pesque Pague Eris Machado Passo Manso Lagoas para pesca - serviço de bar - campo de futebol 

22 Pesque Pague Haroldo Friese Ribeirão Pequeno Lagoas para pesca - serviço de bar - cancha de bocha  caminhadas - área para camping

23 Pesque Pague Udo Mundt Ribeirão Pequeno Lagoas para pesca - serviço de bar 

24 Vale das Trutas Corisco Lagoas para pesca - serviço de bar - área para camping - caminhadas

25 Pesque Pague Schmidt Vargem Lagoas para pesca - serviço de bar - área para camping


Morros/Picos
n. º Nome Endereço/localidade Acesso Altura Visual panorâmico 

1 São Rafael Rio das Pedras Regular 873 m Sim

 2 Morro Redondo Vargem II Regular 711 m Sim

 3 Serra do Kraemer Bairro do Seminário Bom 642 m Sim

 4 Serra do Paredão Passo Manso Ruim 878 m Sim 

5 Morro da Antena Vila Mariana Regular 574 m Sim

 

Áreas de preservação/áreas naturais protegidas

n. º Nome Endereço/localidade Acesso

 01 Induma/Palmital Palmital Regular 

02 HCR Alto Ribeirão da Vargem Regular 

03 HIMASA Alto Ribeirão da Vargem Regular

 

Pedreira

n. º Nome Endereço/localidade Acesso

 01 Pedreira do Parque da Barragem Oeste Barragem Oeste Regular

 

Atrativos Históricos e Culturais

n.º Nome do Monumento Endereço/Localidade

01 Residência Armani Margem Esquerda 

02 Residência Bértoli Rua Cel. Feddersen, 1475 - centro

 03 Casa da Cultura Centro

 04 Residência Irene Jensen Ribeirão Pequeno 

05 Residência Groch Ribeirão Pequeno

06 Residência Berri Vargem II 

07 Residência Praia Vermelha Vila Mariana - Praia Vermelha 

08 Residência Jacó Heberle Rua Vitor Konder

09 Casa Emy Klug Rua Coronel Feddersen - centro 

10 Vila Jurujuba Av. Nereu Ramos - centro 

11 Residência Hartwing Ern Rua Cel. Feddersen - centro

 12 Residência Hadlich Rua Vitor Konder - Vitor Konder

 13 Residência Martini Av. João Bertoli - centro 

14 Residência Pretti Rua Cel. Feddersen - centro 

15 Residência Hosang Vila Mariana
16 Residência Odebrech Ribeirão Pinheiro

O Município de Taió, em mais de meio século de emancipação política, vive um momento de prosperidade, num ritmo de crescimento econômico com grande destaque regional. Taió ocupa grande importância econômica na região da AMAVI, a Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí. Com forte tradição agrícola e pecuária é a agroindústria que movimenta a maior fatia econômica. O setor de fabricação de papel/celulose/papelão entretanto é o que emprega o maior número de pessoas, e com a vinda de inúmeras indústrias do ramo têxtil, aconteceu uma oferta de emprego que ocupou a mão de obra feminina. Enquanto historiadores discutem a data mais provável da chegada do elemento europeu ao município, com referência ao desbravador Dias Velho, ainda no período imperial, outros afirmam que lá por volta de 1904 desceram a Serra Velha, oriundos de Curitibanos, os primeiros colonos caboclos, que se estabeleceram em Pinhalzinho, hoje Mirim Doce. Outros estudiosos, pesquisaram a chegada de italianos, que teriam fixado residência em Santo Antônio e São Luiz por volta de 1911, mas os únicos fatos confirmados são estampados no Brasão e Bandeira do Município apenas em 1917, com a chegada dos primeiros alemães, que igual os italianos, vieram subindo o Rio Itajaí do Oeste. A instalação do município ocorreu em 12 de fevereiro de 1949, sendo esta data considerada Dia do Município. A população do município de Taió é predominantemente rural, onde vivem 8.367 pessoas. Na área urbana residem 7.866, totalizando 16.233 mil pessoas. É comum encontrarmos pelas ruas da cidade, os moradores falando fluentemente o dialeto alemão ou italiano, e se observar direito perceberá que o nome das empresas da cidade estampam os sobrenomes das famílias de origem germânica e latina. Esta característica presente no dia a dia, se manifesta em todos os setores da sociedade: na cultura, nos esportes, na música, no forte sentimento religioso e reflete também no comando do poder público. Se um período o prefeito ou a câmara tem maioria alemã, logo vem outra safra trazendo os italianos, numa saudável integração que impulsiona o desenvolvimento e a vontade de construir e fazer cada vez melhor. Considerada no geral, a cidade conta com serviços de infra-estrutura capaz de atender fluxos turísticos. As belas paisagens naturais, aliada à hospitalidade e amabilidade do povo e a sua força de trabalho, constitui-se uma grande possibilidade de progresso e forte apelo turístico.

-----------
Desenvolvido pelo Departamento de Comunicação Social do Município de TAió
Dúvidas, críticas e sugestões, fale conosco